Programação

Palestras, vivências e oficinas

Sagrado Masculino – O início da jornada

A Palestra
Atualmente fala-se muito de sagrado masculino (e feminino), mas muitas são as dúvidas do que realmente se trata esse movimento. Essa palestra tem como objetivo explorar as feridas masculinas e discutir sua cura por meio da interpretação dos mitos Celtas e da teoria de alguns autores Junguianos. Serão bem-vindas todas as pessoas que quiserem se aprofundar no tema, homens e mulheres, pois a cura não é unilateral e a sincronia de ambos os sexos é necessária e urgente.

Sobre Danilo 
Danilo iniciou o paganismo na adolescência com a bruxaria solitária, conheceu o Druidismo há 3 anos e hoje o tem como a sua religião, sendo atualmente estudante do caminho do Druida na Ordem Druídica Ramo de Carvalho. É também praticante de Xamanismo Tradicional, estudante de Medicina Tradicional Chinesa e Reikiano. Iniciou suas práticas do Sagrado Masculino por meio do movimento Tenda do Sol e estuda desde então esse caminho de cura.

A imagem pode conter: 5 pessoas, texto

Representando o Sagrado – Oficina de Pintura

A Oficina
Oficina de pintura com a intensão de estimular a experiência de entrar em contato com o Sagrado através da arte.

Sobre Lách Feochadán
Alan Cardoso (Lách Feochadán) é poeta, escritor, pintor e tradutor de mitos nas horas vagas. Natural da Baixada Fluminense, residente de Niterói, tem seu trabalho voltado principalmente à tarefa de exaltar a memória dos deuses.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

O uso das velas na magia Celta

A palestra
Pretendo ensinar o uso de velas dentro de um universo religioso céltico, aplicado principalmente para o cotidiano.

Sobre Nathair Dorchadas
Sacerdote Chefe da Ordem Walonom e seu fundador, pratica a religião Celta através da Tradição Druidica Waloniana há 18 anos. Leva seu sacerdócio como curandeiro, atuando na comunidade de maneira integral.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, velas

As artes da guerra: guerreiros, armas e rituais 

A palestra
A imagem sobre os celtas relegada à posteridade tem entre seus grandes símbolos a figura do guerreiro. O guerreiro e a dedicação à batalha são usualmente representações típicas dos vários povos que compuseram o que chamamos de “celtas”. Essas imagens estão presentes nas fontes filosóficas, mitológicas e também na documentação arqueológica e literária por exemplo. O objetivo dessa apresentação é retomar esse mote para pensar o lugar do guerreiro da guerra na sociedade celta com especial atenção para as relações entre guerra e religião. Sendo assim, a proposta central é debater a questão a partir da interseção entre artes e religião e sociedade para compreender os usos e das armas e vida ritual do guerreiro.

Sobre Joab
Potiguar, residindo em São Paulo. Tenho acompanhado e participado de debates em vários grupos de estudo e prática sobre história e sociedade dos povos celtas, com ênfase em religião e espiritualidades; além disso, também tenho contribuído e participado de eventos relacionados ao tema.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Um olhar feminista sobre as deusas galesas

A Palestra
Arianrhod, Blodeuwedd, Cerridwen muitas vezes são retratadas como mães más e esposas traidoras, são mulheres rebeldes que querem destruir ou não se submeter aos homens ao seu redor. Mas não seria essa uma visão machista? A idéia de uma mulher independente ainda hoje assusta a sociedade, que dirá na época em que os mitos foram compilados. Nessa palestra pretendo desfazer equívocos sobre essas deusas e mostrar porque uma visão feminista pode nos ajudar a compreender melhor os mitos.

Marcela - Deusas galesas 2

Celtas do Oeste: a nova hipótese sobre o surgimento das culturas ‘celtas’

A Palestra
A hipótese Invasionista domina o pensamento acadêmico e o imaginário de várias pessoas já há algum tempo. A teoria de que os povos “celtas” surgiram de uma migração de povos indo-europeus para o centro da Europa, e posteriormente formaram uma cultura, o Hallstatt, se expandindo para outros lugares já está tão fixa que parece inquestionável. Com o surgimento de novas descobertas, pesquisas genéticas e arqueológicas surge uma nova hipótese que consegue conciliar melhor arqueologia e linguística e começa a ser adotada pelo meio acadêmico com mais afinco, porém ainda pouco divulgada popularmente. Sendo assim, a proposta central é apresentar essa nova hipótese de forma introdutória, como surgiu, como alterou alguns pontos de vista e seus contrapontos com a hipótese Invasionista.

Sobre Lucas 
Meu nome é Lucas de Lima Pinto, sou um aficionado por história, e sempre me dediquei a estudar histórias dos povos. Apaixonei-me pela história e mitos de origens celtas e graças a isso descobri o caminho do paganismo. Dedico-me ao paganismo desde 2008 onde fiz parte do grupo semente no Nemeton Tabebuya atual Caer Tabebuya e em 2011 me iniciei na OBOD – Ordem dos Bardos, Ovates e Druidas – onde depois de um tempo de estudos, adquiri o grau de Bardo pela ordem. Sou graduado em Letras pela UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais – me dedicando à área filologia, trabalhei com textos medievais escritos em galês e atualmente com sociolinguística e motivações para mudança dos léxicos. Tento divulgar e disseminar o como o meio acadêmico tem visto os celtas em todas suas perspectivas, também hoje sou ligado ao Bleddovindos grupo de druidismo mineiro, e continuo com as pesquisas pessoais desenvolvendo estudando e trabalhando para facilitar o acesso a esses materiais no Brasil.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

Manannán e as Maçãs de Prata

A Vivência
Uma vivência para trazer conhecimentos do Reino do Mar e das forças do Deus Manannán e os seres mágicos que o acompanham.

Sobre Marcos
Marcos Reis há mais de 18 anos é estudante e praticante de Xamanismo Celta. Coordenador do clã e grupo de estudos Floresta de Manannán dedicado aos estudos e práticas do Druidismo. Marcos colocou foco em seu trabalho na honra aos ancestrais da terra, o povo nativo das Américas, assim, trazendo a suas práticas conhecimentos de outros xamanismos. Marcos estudou medicinas de várias tradições como Tambores, Filtros dos Sonhos, culto a Jurema, Oráculos e práticas com Pajelança. Marcos também é músico percussionista de tradições Irlandesas além de profissional em Coaching.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto e atividades ao ar livre

Um encontro com Áine e suas fadas

A Palestra
Roda de conversa sobre o mito de Aine, suas simbologias, seu culto, troca de experiências com a deusa e uma meditação guiada para encerrar a roda.

Sobre Mateus
Mateus Cabot é jornalista, diretor do documentário Três Faces da Deusa e organizador da Casa de Aine.

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Òran Mór – a Grande Canção

A Palestra

Diversas culturas tem em comum o desejo de explicar como o mundo e tudo que há nele teve sua origem. Esse interesse é chamado de cosmologia, o estudo da estrutura e a evolução do universo em seu todo. A Óran Mór é uma cosmologia antiga encontrada em algumas áreas Celtas que diz que a existência, e tudo que dela deriva, é uma grande canção.

Sobre Lívia

Louca dos gatos, amante de yoga, bordado e maracatu. Segue o caminho do Druida há 7 anos e pratica espiritualidade Celta há pelo menos o dobro disso. Produtora cultural, foi coordenadora do VIII EBDRC e é a atual presidente do Conselho Brasileiro de Druidismo e Reconstrucionismo Céltico.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Ritos de Passagem no Druidismo

A Palestra

Estudo sobre definições dos ritos druídicos do nascimento a morte.

Sobre Sheilla

Sheilla P.S. Uberti, 50 anos, 20 de Paganismo, Eterna aprendiz, esposa, administradora, dona de casa, mãe de cachorros. Lido com Tarot desde meus 18 anos, acho que os Deuses me deram esse dom que exerço com a responsabilidade e a vontade que é necessária para tanto. Alguns anos de Wicca, alguns de Bruxaria sem definição específica e uns bons anos de Druidismo, perdi a conta de quantos. Parte do Caer Itaobi, grupo Druídico de São Paulo onde, mesmo sem ter escolhido, acabo no papel de Vate, aquele que vê o futuro, que mostra o futuro, sem nunca esquecer do presente e do passado. Ou segundo os dicionários, a adivinha do grupo, ou ainda, segundo um texto que vi, um ser enigmático no misterioso ofício da palavra.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Bênçãos: Por quê? Para quê? Como?

A Palestra

Quanto mais abençoamos, mais as bênçãos fazem parte de nossas vidas, mas é apenas isso? Por que abençoar? Para que devemos fazer isso? Há algum rito que pode ser seguido, um caminho já trilhado por outros que pode guiar os passos de quem deseja fazer isso? É o que discutiremos juntos.

Sobre Marcelo

Com mais de vinte anos de estudo das artes místicas, Marcelo Paschoalin é Druida, membro do Conselho do Clann Bhride, Mestre Maçom, Chevalier da Ordem DeMolay, mago natural, professor de tarot, escritor de literatura fantástica, e divide seu lar com 9 (nove) gatos – sim, ele tem nove(!) gatos no apartamento dele.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

A Jornada do Herói através da Saga de Fionn Mac Cumhaill

A Palestra

Os heróis tinham grande renome e prestígio entre os celtas, fato esse que se comprova na dificuldade comum em distinguir se a referência mitológica de um nome trata-se de um herói ou deidade em muitas lendas e mitos. Fionn Mac Cumhaill é um dos maiores heróis dos ciclos mitológicos irlandeses. Sua jornada até a soberania o conduz a conhecer a honra e adquirir sabedoria e então o coloca fielmente a prova, mostrando passos de uma jornada que pode ser seguida por todos, florescendo o herói interno em cada um de nós, e nos levando ao encontro de nossa própria soberania. Essa palestra pretende, portanto, elucidar esses passos através de uma análise individual da saga desse herói, buscando elencar formas de se despertar o herói interior e encontrar a soberania através da honra e da sabedoria.

Sobre Dartagnam

Dartagnan Abdias, de nome sacerdotal Ávillys d’Avalon, é professor, antropólogo e mestre em Ciência da Religião, druida e sumo-sacerdote do Leanaí an Ghealach Clann em Juiz de Fora / MG, também é integrante do Fidnemed an Sid, Itú / SP, coordenado pela Rowena Seneween, desde 2016. Faz parte e estuda o druidismo desde 2009, estudando e praticando o paganismo desde 2002.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto

Sigilos e Proteções Pré-ritualísticas

A Palestra

O workshop tem como objetivo o estudo sobre proteções pré-ritualísticas, trabalhando com meditações e criação de sigilos de proteção e bênção a partir do alfabeto oghâmico. O participante terá a oportunidade de aprender a ter um relacionamento melhor com espíritos locais, bem como criar selos mágicos e círculos de bênção e proteção.

Sobre Kleber

Estuda druidismo desde 2012, dedicando-se principalmente ao panteão gaélico e galês. Estudou com grupos como a Ordem Druídica Ramo de Carvalho e o Clã Floresta de Manannán. Em 2015 tornou-se Kriabon Cingetos (iniciado no Caminho do Guerreiro) pelo Ramo de Carvalho e um dos co-fundadores da clareira Clann Fiodh na Sidhe, de estudos voltados para um trabalho mais próximo com os espíritos. É artesão, artista visual e designer gráfico, fascinado pelo estudo dos símbolos.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Bordado Devocional

A Oficina

Workshop de bordado básico. Que ensina do 0 para quem nunca pegou uma agulha e linha. E que trabalha ao mesmo tempo a questão do sacrifício de tempo e arte para um deus. Entoar canções e poemas enquanto borda e etc. Tem um pouquinho de conteúdo teórico e bastante conteúdo prático.

Sobre Lívia

Louca dos gatos, amante de yoga, bordado e maracatu. Segue o caminho do Druida há 7 anos e pratica espiritualidade Celta há pelo menos o dobro disso. Produtora cultural, foi coordenadora do VIII EBDRC e é a atual presidente do Conselho Brasileiro de Druidismo e Reconstrucionismo Céltico.

A imagem pode conter: 1 pessoa

A Nona Potência e os Três Caldeirões

A Palestra

Taliesin canta que sua poesia “a partir do sopro de nove donzelas, foi acesa”. Datado do século XIV, esse trecho está no poema Os Espólios de Annwfn é uma nítida referência ao número nove na poesia e literatura galesa. Amergin nos diz que “boa é a fonte do discurso medido, boa é a casa do poço da inspiração, boa é a união dos seus poderes”. No manuscrito irlandês do século XVI, chamado de “O Caldeirão da Poesia”, traduzido por Erynn Rowan Laurie, que relaciona a poesia ao que está sendo gerado em três caldeirões internos do homem. Uma visão do macrocosmo refletida no microcosmo individual. Essas fontes possibilitam nos conectar com uma força ancestral e pode ser experimentada como um sistema que permeia as práticas do Druidismo Moderno. Este é um convite para que no IX EBDRC, sob a proteção de Blodeuwedd e Arianrhod, possamos dialogar e vivenciar a Nona Potência unida aos Três Caldeirões.

Sobre Llewellyn Mawr e Rowenna Seneween

Llewellyn Mawr é historiador, professor, escritor, focalizador, terapeuta, estudioso das culturas tradicionais, dedicado ao panteão galês e ao Druidismo Moderno, administrador e autor do web-site Nawfed Pwer e organizador-palestrante da Reunião Sazonal Druídica que ocorre na cidade brasileira de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Rowena A. Seneween, escritora, terapeuta holística e oraculista. Vivencia o Druidismo e o Reconstrucionismo Celta desde 2004. Afiliada à ordem druídica ADF. Idealizadora do site Templo de Avalon : Caer Sidd e do grupo Fidnemed an Síd, autora do livro Brumas do Tempo e integrante do projeto Alma Celta.

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto

Métodos Oraculares dos Gaélicos Pré-Cristãos

A Palestra

Quando se fala em oráculo gaélico, imediatamente nos vêm a mente o Ogam, e não é a toa, já que este é o método oracular mais conhecido dentre os praticantes modernos. No entanto, chegaram até nós diversas técnicas e formas oraculares que os gaélicos pré-cristãos supostamente utilizavam, tirando presságios desde as nuvens do céu, passando pelo cântico de pássaros, até a utilização de ossos de animais. Nessa palestra, veremos um pouco sobre essas técnicas “naturais” e mais simples, além de outras mais complexas e menos conhecidas, a fim de inspirar nossa prática contemporânea.

Sobre Leonni

Leonni Moura é carioca de 23 anos morando em SP. Estuda arquitetura e urbanismo e mantém um trabalho no site “Ildiachas – Politeísmo Gaélico” há pelo menos 9 anos, onde faz traduções e textos voltados para a religiosidade gaélica, com uma abordagem reconstrucionista para suas crenças e práticas.

Leonni - Oraculos

Espiritualidades do Reconstrucionismo Céltico: Teoria e Prática

A Palestra

Explore as espiritualidades do Reconstrucionismo Céltico com uma das fundadoras do movimento contemporâneo. O que é, como o praticamos e como encontramos o equilíbrio entre a teoria e a inspiração? Nós falaremos sobre histórias, realidades, equívocos e práticas desses caminhos animistas e politeístas.

Sobre Erynn 

Erynn Rowan Laurie é uma das fundadoras do Reconstrucionismo Céltico e escreve e ensina sobre os diversos aspectos do paganismo céltico, do druidismo e do caminho do Fili (Filidecht), que é sua especialidade. Erynn trabalhou por muitos anos para descobrir, reconstruir e adaptar as antigas cosmologias célticas e técnicas ritualísticas para o nosso mundo atual. Dentre suas obras, pode-se citar o CR-FAQ, A Circle of Stones: Journeys and Meditations for Modern Celts e Ogam: Weaving Word Wisdom.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto e atividades ao ar livre

Ogam: dos manuscritos medievais aos feiticeiros modernos

A Palestra

O alfabeto Ogam originou-se na Irlanda por volta do século IV d.C. É normalmente conhecido como “o alfabeto das árvores”, mas a realidade é muito mais profunda. Exploraremos algumas das interessantes histórias do Ogam e veremos formas em que pagãos e feiticeiros modernos possam usar o Ogam para a magia. 

Sobre Erynn

Erynn Rowan Laurie é uma das fundadoras do Reconstrucionismo Céltico e escreve e ensina sobre os diversos aspectos do paganismo céltico, do druidismo e do caminho do Fili (Filidecht), que é sua especialidade. Erynn trabalhou por muitos anos para descobrir, reconstruir e adaptar as antigas cosmologias célticas e técnicas ritualísticas para o nosso mundo atual. Dentre suas obras, pode-se citar o CR-FAQ, A Circle of Stones: Journeys and Meditations for Modern Celts e Ogam: Weaving Word Wisdom.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

O Mercado Celta

O já tradicional Mercado Celta não poderia ficar de fora. Já estamos convocando artistas, artesão, produtores de hidromel e bebidas artesanais, oraculistas, escritores, terapeutas holísticos e vendedores de produtos relacionados a cultura e religião céltica  e afins para compor esse momento especial.Ele é gratuito para inscritos no IX EBDRC e tem taxa do Espaço Carapiá para visitantes (não escritos que queiram vender seus produtos).Caso confirme presença desde já divulgamos os produtos e pedimos que divulgue nosso evento em parceria. Para divulgar seu produto desde já para toda comunidade druídica, entre em contato e iniciamos a divulgação após esclarecimentos e envio de foto do seu produto e marca.

Para saber quem já está confirmado siga o evento Mercado Celta no IX EBDRC clicando aqui

A Festa

No sábado após o mercado (e comprar muitas bebidinhas rs) começa a nossa Festa Celta.Nossa festa será embalada pelas incríveis drinkings songs, música tradicional irlandesa (irish folk) da carioquíssima Banda Tailten. Incentivamos nossos participantes a vestirem nossos trajes típicos ou ritualísticos nesse momento de máximo da confraternização.

Para conhecer o trabalho da Tailten na imagem de seu primeiro cd A CULPA É DA CERVEJA: (já a venda)

20525221_680796802115090_7643043820915679467_n

 

Nossa festa celta no VIII EBDRC- Paranapiacaba 2017

 

 

 

 

 

 

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esperamos vocês!

Anúncios